Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Patrícia Lobo

Ter | 31.07.12

...

Por Patrícia Lobo
?Chuck: Porque você tá chorando? 

Blair: Porque eu te amo e não aguento mais um dia sem você. Porque suas provocações me fazem ficar mal, porque seu desinteresse dói lá no fundinho. Porque eu sinto falta de tudo que nós vivemos, sinto falta dos seus carinhos, seus beijos, sinto falta do jeito como me tratava. Porque você me trata mal, porque você não tá nem aí pra mim, porque eu passo o dia me perguntando como você tá, porque dói saber que você fica com outras, que você faz outra menina sentir tudo que eu sinto. Porque eu tô cansada de te amar e não poder demonstrar, tô cansada de tentar te mostrar que sinto a sua falta e só levar patada, corte. Porque eu cansei de fingir que é passado, que eu não tô nem aí. Porque eu odeio a incerteza, odeio sua indiferença. Porque eu te amo. Não é nada, não se preocupa. Já passa.
Seg | 30.07.12

...

Por Patrícia Lobo
O coração e a razão em conflito, numa noite vazia e débil como a de hoje. Senti o ar gélido consumir o meu corpo frágil, enquanto a minha mente ia sendo atacada por memórias dolorosas; mas tão doces. Nunca deixará de ser assim; quanto mais especial, maior a dor da solidão. As palavras que quero que sintas, ficam aprisionadas em mim. Já nem o olhar sabe mostrar o quanto te quero bem; está cada vez mais apagado e sem brilho.
Sex | 27.07.12

...

Por Patrícia Lobo
Não há nenhuma razão,não há nenhuma rima. Isto é claro como cristal: eu ouço a tua voz e toda a escuridão desaparece. Toda vez que olho nos teus olhos, fazes com que te ame. (...) Eu amo-te, verdadeiramente. Dentro e fora de mim. Fazes com que te ame, mesmo com os teus obstáculos. E eu amo-te, verdadeiramente. Eu pertenço-te, tu pertences-me. Sempre. Desejo-te. Eu desejo-te e achei que deverias saber que eu acredito. És o vento que me faz voar. Eu pertenço-te, tu pertences-me.

Eros Ramazzotti & Anastacia - I Belong To You
Ter | 24.07.12

...

Por Patrícia Lobo
Devia ter escutado o silêncio e permanecido apenas envolta nas memórias que agora magoam, de tão especiais que se tornaram. Criados novos sonhos e momentos e ilusões. Tudo passou a nada. Regressou o vazio e parece cada vez mais enraizado em mim. Afasto as cortinas para conseguir alcançar a noite imensa. Sento-me no chão arrefecido e olho para além do vidro. Vou desejando que o teu olhar igualmente contemple a lua que o sol, invisível deste ângulo, faz brilhar; que a pessoa que manténs viva na tua mente seja a mesma que escreve estas palavras. Boa noite.
Seg | 23.07.12

...

Por Patrícia Lobo
É um lugar encantado, entre o mundo e a solidão. Onde se espreitam estrelase a vida cabe nas mãos.  Sento-me em frente ao mar, olho para longe do fim. Perdem-se barcos na espuma, não sei se é dentro de mim. E fico um pouco mais. Gosto que anoiteça aqui. Só neste lugar tudo faz sentido, mesmo sem ti. É uma praia onde a noiteme faz lembrar quem eu sou, sem ouvir o que me pedem, sem importar o que dou. Antes de todas as mágoashavia o mesmo luar. Só eu cumpri a promessade cá voltar. E fico um pouco mais. Gosto que anoiteça aqui. Só neste lugar tudo faz sentido, mesmo sem ti.
Seg | 23.07.12

...

Por Patrícia Lobo
Eu, do fundo do meu coração, tenho um orgulho absurdo de ser quem sou. Não vou dizer que é fácil e que nunca deu vontade de desistir, mas vale muito mais a pena continuar.
Seg | 23.07.12

...

Por Patrícia Lobo
O infinito não acaba. O infinito é nunca. Ou sempre.
Seg | 23.07.12

...

Por Patrícia Lobo
Rei de espadas e rainha de copas. O que foi lido nas cartas bate certo com os meus sonhos mais puros. Dois seres; dois corações; a sina perfeita que qualquer um deseja ter. Mas o verdadeiro destino não corresponde ao que se desvendou em cima da mesa quadrada. Porquê? Porquê? Porquê?
Dom | 22.07.12

...

Por Patrícia Lobo
A pior coisa do mundo é quando alguém te faz sentir especial e, de repente, deixa-te de lado. Aí tens de agir como se não te importasses.
Dom | 22.07.12

...

Por Patrícia Lobo
E por que é que nada é do jeito que queremos? E do jeito que precisamos? Tudo me escapa por entre as mãos, geladas pelo vazio que sinto em mim. Será que um dia tudo isto irá passar? Quando tempo mais esperarei pela felicidade? Será que não a mereço? São tantas as perguntas para as quais não tenho resposta.

Pág. 1/2