Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Patrícia Lobo

...

13.09.12 | Patrícia Lobo
É a atitude de quem despreza um coração e, mais tarde, sente uma ponta de ciúmes por ser tratado da mesma forma. E sabes, não consigo suportar mais as incertezas de quem acha que por ter sofrido de amor, não pode voltar a amar e ser amado. Não consigo enumerar algo mais estúpido do que esse velho pensamento. Apetece-me chorar. Não por estares longe; mas por sentir que, depois de tudo o que fiz para conquistar a tua confiança, não passaste de uma tentativa falhada. E dói ver isso em ti; alguém que desistiu à primeira oportunidade, para não magoar e sair magoado. Alguém que não teve colhões para tentar abraçar a felicidade.

...

11.09.12 | Patrícia Lobo
Fala, diz-me o que estás a pensar 
Oiço, sinto o que estás sentir 
Abre, abre a mão aos teus medos 
Deixa-me estar onde estás 

Diz-me que sim, estou aqui 
Nada nos vai separar nem dividir 
Quero estar junto a ti 
Estou aqui... 
Diz-me que sim...

...

10.09.12 | Patrícia Lobo
O medo da consequência paira no ar fresco desta noite. A primeira noite sem ti, desde há algum tempo. Desde que os dias quentes se tornaram um vício e partilhámos sempre um pouco mais de nós. Deixei que partisses mais cedo do que previa por ter tomado a tua presença como garantida até ao fim. Agora que não só a minha mente se mantinha confusa, mas também a tua tentava perceber o que realmente significava para ti tudo o que passou como vento, por entre dedos. Muitas almas te conhecem bem e sabem que o teu agir se tornou diferente por alguma razão. Todos partilham o mesmo pensamento, porém ninguém se atreve. Tu muito menos. Mas quero que penses em mim durante esta semana, todos os dias; e não preciso que seja a todo o instante, mas sim apenas por um momento. Preciso que entendas aquilo que o teu coração te quer dizer, mesmo que não seja o meu nome que ele pronuncia. Preciso. Tal como tu. Boa noite, bebucho.

...

05.09.12 | Patrícia Lobo
A lua cheia iluminou o meu caminho e encontrei-te. Não sabia o que fazer ou o que dizer, mas nunca neguei interiormente aquilo que sentia por ti. Sinto-o a cada vez que me olhas. A mesma lua, regressou para me encher de coragem - Eu não quero que te afastes de mim. Não te quero perder. E da tua boca a resposta seguiu-se - Nunca me vais perder, garanto-te. Pedi a tua mão e tu cuidadosamente seguraste na minha. Encostei a minha cabeça sobre o teu ombro e, mesmo não sabendo o que estava a fazer, rezei. Rezei para que aquele momento fosse eterno.

Pág. 2/2