Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Patrícia Lobo

...

10.10.12 | Patrícia Lobo
Saudade, acima de tudo o que possa estar a sentir neste momento. Saudade de ti; e de nós. Sei que a distância não importa quando existe algo mais forte a unir duas almas, mas sinto falta dos fins de tarde na esplanada da estrada principal, entre copos e cigarros e conversas com todo e nenhum sentido. E sabes, gostava de repetir o passado e contar-te todas as aventuras ainda não proferidas; ou falar-te apenas de quem se tornou especial. Sei bem que a felicidade se instalaria no teu rosto quando entendesses que voltara a saber sorrir.

...

07.10.12 | Patrícia Lobo
Não consigo esquecer a tua silhueta, enquanto caminho pelas ruas da grande cidade. Cada esquina faz-me recordar-te. O movimento automático dos meus pequenos pés, levam-me ao passado. E a minha alma eleva-se quando volto a ouvir a tua voz chamar por mim; e o teu odor mistura-se com a brisa da manhã que desliza sobre os meus cabelos, fazendo-me inspirar a paz. O meu corpo segue o som das tuas palavras e o nosso olhar não se cruza. Não estás presente; nunca tiveste. Foi apenas mais uma facada deste meu inútil coração.

...

07.10.12 | Patrícia Lobo
Tento saber como é que vai ser,
Se posso viver sem ti.
Tento fugir mas eu só penso
Na hora em que estás aqui.
Tu nunca vens e quando apareces,
Finges que não há nada.
Deixas-me só, sempre a pensar
Que chegámos ao fim da estrada.
Tento manter a calma; às vezes, parece que não te ligo.
Pode parecer até que te esqueço, mas só quero estar contigo.
Pode parecer que sou livre, mas eu estou preso a ti.
Às vezes disfarço e não consigo,
Mas eu só penso na hora em que estás aqui.

...

05.10.12 | Patrícia Lobo
'Cause to love you means so much more. When I need to cry, you make me try. I want to die and ask me why! 'Cause I can't fight no more. (...) When I wanted to stop, when I wanted to fail, I saw your eyes and I believed there's so much more... So much more...

...

02.10.12 | Patrícia Lobo
A atmosfera continua pesada contigo presente. Pesa na alma, este amor perdido que não se encontra. O teu olhar cada vez mais distante assusta-me, apesar de saber que o teu sorriso continua verdadeiro. Mas essa tua essência parece desaparecer de dia para dia. A tua luz parece fraca. Não pareces tu. E intriga-me e invadem-me as tuas atitudes, porque não as sei explicar; porque não sei sentir aquilo que estás a sentir. Não consigo entender o porquê do teu silêncio; o porquê da tua ausência.

Pág. 2/2