Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Patrícia Lobo

És a razão pela qual nunca deu certo antes

11.06.17 | Patrícia Lobo

Sempre me considerei uma rapariga com pouca sorte no amor. Aliás, pouca sorte é um grande eufemismo para descrever as minhas pseudo relações amorosas. Sempre fui a metade da laranja que ninguém quis. Sempre fui a amiga e confidente. Nunca entendi porquê. Até agora.

Sabiam que o amor pode ser uma coisa terrível quando não se ama a pessoa certa? Aprendi-o das piores formas. E por ter sofrido tanto, sempre fui uma pessoa insegura. Não só em relação aos outros, mas em relação a mim própria e ao que penso quando me olho ao espelho. E essa é das piores sensações que se pode sentir. Pena de nós próprios. Era isso que sentia quando pensava em mim e na vida que levava. Até agora.

Agora, tenho-te a ti. Para desafiares todos os meus medos e inseguranças. Tenho-te a ti para me dizeres que não preciso de ser perfeita para ter a beleza da lua, aos teus olhos. Não preciso de ser perfeita para que não tenhas receio de dizer ao mundo que estás ao meu lado e que eu sou tua, para o que der e vier.

Agora, tenho-te a ti. Para que o amor seja algo verdadeiro e doce. E agora entendo o porquê. És a razão pela qual nunca deu certo antes.

ESTE TEXTO FAZ PARTE DO PROJECTO CAFÉ COM BLOG

8 comentários

Comentar post