Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Patrícia Lobo

The Bibliophile Club | Raparigas Como Nós

20.08.19 | Patrícia Lobo

Raparigas Como Nós

 

Sigo há muito pouco tempo o trabalho da Helena Magalhães, coincidindo praticamente com o lançamento do seu livro Raparigas Como Nós. Comecei a ver muitas críticas positivas a circular pelo Instagram e blogs que sigo acerca deste livro e a curiosidade falou mais alto. Não só por ir ao encontro de um género literário que gosto bastante, mas também por ser um livro escrito por uma autora portuguesa!
 
Por outro lado, no The Bibliophile Club, o tema escolhido para os meses de Julho e Agosto foi: Livros para ler ao Sol. Raparigas Como Nós assentou na perfeição.
 
É Isabel quem narra este romance jovem adulto, contando-nos as aventuras do presente e regressos ao passado da mesma, entre 1999 e 2004. Quando Isabel é arrastada pela melhor amiga, Alice, para uma saída na companhia de pessoas de quem não gosta e não se identifica, ela não imagina o quanto aquela noite irá mudar a sua vida. Isabel conhece Afonso. Mas, inesperadamente, Simão, antigo e primeiro grande amor de Isabel, volta a cruzar-se com ela. Entre amores, drogas e festas que têm tudo para correr mal, Isabel tenta manter-se fiel a si própria.
 
Acompanhamos Isabel num processo de aprendizagem gigante, nesta fase complicada que é a adolescência. Senti mesmo que, no final, ela se tornou muito mais adulta do que quando tudo começou. Não só Isabel, mas também outras tantas personagens que a seguem nesta jornada. A Alice, o Afonso, a Marina das argolas... 
Helena Magalhães trouxe-nos um romance carregado de emoções, até às últimas páginas. Raparigas Como Nós levou-me a recordar memórias, há muito escondidas nas gavetas do passado, mas que me fizeram sorrir. Nem todas foram felizes, no entanto, cada um desses episódios marcou de certa forma a minha vida. Assim como marcaram a vida de Isabel.
 
Foi um livro que me aqueceu o coração. E vocês, já leram Raparigas Como Nós?
 
Este blog é agora afiliado da Wook e Bertrand:

5 comentários

Comentar post